ARTIGO CIENTÍFICO: DOCILIZAÇÃO DOS CORPOS NA EDUCAÇÃO: DISCIPLINA, INDISCIPLINA E RELAÇÕES DE PODER NO ESPAÇO DO CONHECIMENTO

Bruna Milene Ferreira, Geovanna Arrais Lopes

Resumo


O presente artigo tenciona mostrar as práticas ideológicas de uma sociedade capitalista. Visto que as relações de poder simbólico consolidadas no ambiente escolar provocam segregação social com base em um discurso criado para a alienação. Duas partes compõem este artigo. A primeira trata das relações de poder voltadas para a educação que dociliza e massifica. Já a segunda fala sobre como os problemas relacionados ao respeito pelo professor estão ligados às questões do mundo atual levando a atos indisciplinares e ao declínio da autoridade na vida social e na sala de aula. Entre as matrizes do conhecimento foi adotado o materialismo dialético como suporte metodológico deste trabalho. Palavras-chave: Autoridade. Educação Libertadora. Indisciplina.


Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Ed. Companhia das Letras. 1999.

________. Entre o passado e o futuro. 7 ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2014.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: Sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

______. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

______. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BORDIEU, Pierre. A reprodução. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

________. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

V 5, N. 1, jan-dez. 2019

Revista Acadêmica Educação e Cultura em Debate

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 2004.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 42 ed. Petrópolis: Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

SANTOS FILHO, José Camilo e GAMBOA, Silvio Sanchez. Pesquisa educacional: quantidade – qualidade. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

PERIÓDICOS (ARTIGOS)

CACIANO, Caroline; SILVA, Giuliana Arboite da. Foucault e educação: as práticas de poder e a escola atual. Revista e – Ped – FACOS CNECO. Ago. 2012, Vol. 02 N º 1 Páginas: 224-261.

CERQUEIRA, Eduardo Tramontina Valente. Escritos de Educação por Pierre Bourdieu. Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa, Out. 2013, Volume 02 Nº 2 Páginas 167 – 204.

GALLO, Silvio. Repensar a Educação: Foucault. Revista Educação e Realidade, Jan. 2015, Volume 06 Nº 1 Páginas 88 – 109.

MORAES, Eduardo Jardim de. Hannah Arendt – Filosofia e Política. Revista Philósophos, Fev. 2012, Volume 04 Nº 2 Páginas: 19-43.

PASSOS, Aruanã Antonio dos. História e historicidade em Hannah Arendt. Revista de Teoria da História, Set 2014, Volume 12 Nº 2 Páginas 45 – 79.

DISSERTAÇÕES:

CUSTÓDIO. Crislei de Oliveira. Educação e mundo comum em Hannah Arendt: reflexões e relações em face do mundo moderno. 2011. 130P. Dissertação de Mestrado em Educação da USP. São Paulo: 2011.

NASCIMENTO, Márcio Lima do. Do mal-estar em Freud ao mal-estar em Bauman. 2015. 198P. Dissertação de Mestrado em Educação. Paraíba, 2015.

V 5, N. 1, jan-dez. 2019

Revista Acadêmica Educação e Cultura em Debate

SILVA, Antonio Lima da. A educação e a construção da subjetividade na perspectiva de Pierre Bourdieu. 2014. 132P. Dissertação de Mestrado em Educação da Universidade Federal da Bahia. Bahia, 2014.

VALEIRÃO, Kelin. Foucault na Educação: ferramentas analíticas para a práxis educacional hoje. 2013. 202P. Dissertação de Mestrado em Educação. Pelotas, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.