CONGADA EM APARECIDA DE GOIÂNIA: A IMPORTÂNCIA DA ORALIDADE

Lidianne Rodrigues, Fernanda Laura Costa

Resumo


O presente texto evidencia a congada enquanto expressão de identidade e memória da cultura negra de matriz africana na cidade de Aparecida de Goiânia-Goiás. O artigo foi desenvolvido a partir de metodologia de pesquisa bibliográfica com recorte no Batalhão de congo Santa Efigênia no setor Alto Paraíso em Aparecida de Goiânia. Propomos entender como a oralidade contribui para a continuidade da tradição congadeira na cidade bem como relacionamos História e Memória a partir das músicas que são cantadas por este grupo em específico, para a percepção dos traços de memória histórica presente nos enredos. Utilizamos dos seguintes referenciais bibliográficas Brasileiro (2001), Ki-zerbo (2011), Costa (2012) entres outros. Palavras chave: Congada. Memória e História. Oralitura.


Texto completo:

PDF

Referências


BURKE, Peter [1992]. A escola dos annales, 1929-1989-A revolução francesa da historiografia. São Paulo: Editora UNESP, 1992.

BRASILEIRO, Jeremias. Congadas de Minas Gerais. Brasília: Fundação Palmares, 2001.

CAETANO, Marcelo José. Itinerários Africanos: Do colonial ao Pós-colonial nas Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. v.4 Anos. IV, nº. 2, 2007. COSTA, Patrícia. As raízes da congada: A renovação do presente pelos filhos do Rosário. 1°ed. Curitiba: editora Appris,2012.

FERREIRA, S. Rodrigo. Origens da congada: controvérsias e convergências. Montes Claros: Unimontes Científica. 2005.

GABARRA, L. O. CONGADO DE UBERLÂNDIA: RELÍQUIAS E MÉMORIA. Uberlândia: Histórias e perspectivas, Jan/ jun,2006.

HALBWACHS, M. A Memória coletiva. Trad. de Laurent Léon Schaffter. São Paulo, Vértice/Revista dos Tribunais, 1990. Tradução de: La mémoire collective.São Paulo: revista dos tribunais ltda 1990.

OLIVEIRA K. L. S; MAGALHÃES A. P. M. NARRAR E PENSAR O OUTRO, NARRAR E PENSAR A SI: A ESCRITA DA HISTÓRIA DA ÁFRICA ENTRE E ETNOCENTRISMO E A EPISTEMOLOGIA DAS DIFERENÇAS. 2017.

LE GOFF, Jacques. História e memória. tradução Bernardo Leitão... [et al.] - Campinas, SP Editora da UNICAMP, 1990. p.366-382.

LIGÉRO, Zeca. Batucar-Cantar-Dançar/desenho da performances africanas no Brasil. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2011.

PATRÍCIA, C.; SAMANTA V.; INA CÉSAIRE E OS CONTOS CRIOULOS MARTINICANOS: DESAFIOD DE TRADUÇÃO. Campinas: 2018. Jan./abr. 2018

VANSINA, Jan. A tradição oral e sua metodologia. In: KI-ZERBO, Joseph (Org.). História

Revista Acadêmica Educação e Cultura em Debate

V 5, N. 1, jan-dez. 2019

Geral da África / Metodologia e pré-história da África. 3°. ed. São Paulo: Cortez, 2011. cap. 7, p. 139-166. v. I.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.