DESPERTANDO NA CRIANÇA O INTERESSE PELA LITERATURA INFANTIL DE FORMA LÚDICA

Polianna Costa Pessoa

Resumo


RESUMO: Neste artigo propomos uma análise da necessidade de se criar na criança o senso crítico e o estímulo à imaginação, tudo isso acompanhado pelo prazer da leitura, levando-a a indagar e a explorar coisas e situações e despertando o pensar na criança. Ler é reconhecer o mundo através de espelhos. A verdadeira leitura só é possível quando se tem um conhecimento prévio desse mundo, mas também é possível ler outras coisas, como imagens e expressões físicas (leitura facial), possibilitando-nos saber se determinada pessoa está triste, alegre, surpresa etc. “Literatura” é uma palavra intransitiva e, por sua vez, dependendo da qualidade que ela receba, é considerada arte, ao expressar um sentimento aprazível, satisfatório. Na França, na metade do século XVII, durante a monarquia absoluta do Luís XIV, o “Rei Sol”, manifestaram-se preocupações com uma literatura voltada para crianças e jovens. A metodologia adotada para a realização do trabalho foi a de pesquisa bibliográfica, tendo como auxílio teórico, principalmente, os seguintes autores: Jannuzzi (2004), Gugel (2007), Bank-Mikkelsen (1969), Mantoan (2008), Schwarz (2006), Cunha (2015), Orrú (2006) e Silva, Gaiato e Reveles (2012).

PALAVRAS-CHAVE: Leitura, Literatura Infantil, Interesse de Forma lúdica.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil. 5. Ed. São Paulo: Scipione, 2004.

AGUIAR, Vera Teixeira de. Era uma vez na escola: formando educadores para formar leitores. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2001.

BAMBERGUERD, Richard. Como incentivar hábito da leitura. 7. ed. São Paulo: Ática, 2000.

BECKER, MARICATO, Adriana. O prazer da leitura se ensina. Ed. Crianças. Brasil: S/V, n. 40, p. 26, set. 2005.

CADERMATORI, Ligia. O que é leitura infantil. 4. ed. São Paulo: Brasiliense 1994.

COELHO, Nelly Novais. Literatura infantil teoria, analise didática. 7. ed. São Paulo: Moderna, 2000.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil/juvenil. 4. ed. São Paulo: Ática, 1991.

COUTINHO, Afrânio. A literatura no Brasil. São Paulo: Global, 1997.

COSSON, Rildo. Círculos de leitura e letramento literário. São Paulo: Contexto, 2014.

FARIA, Maria Alice. Como usar a literatura infantil na sala de aula. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

FORTUNA, Tônia Ramos. A formação lúdica do educador. Múltiplos Alfabetismo. Diálogo com a escola na formação do professor. Porto Alegre: Editora UFGRS, 2005.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho científico. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

LEFFA, Vilson J. Aspectos da leitura. Porto Alegre: Sagra: DC Luzzatto, 1996.

MACHADO, Patricia Brum. Comportamento infantil. 4. ed. São Paulo: Mediação, 2002.

MAGDA, Becker Soares. Alfabetização e letramento caderno do professor. Belo Horizonte: UFMG 2005.

MALLARD, Leticia. História da literatura: ensaios. 2. ed. Campinas-SP: Editora UNICAMP, 1995.

MARTINS, Maria Helena. O que é leitura? São Paulo: Brasiliense, 2006.

PIRES, Delia Helena de Oliveira. Livros eterno livro. Releitura. Belo Horizonte. Marco, 2000. Vol. 14 p. 34.

ZILBERMAN, Regina; LAJOLO, Marisa. Literatura infantil brasileira. 6. ed. São Paulo: Ática, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.