O LÚDICO NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DA IMAGINAÇÃO E CRIATIVIDADE NA CRIANÇA

Mônica Rodrigues de Assis

Resumo


RESUMO: O presente estudo intitulado: “O Lúdico no Processo de Desenvolvimento da Imaginação e Criatividade na Criança”, objetiva destacar a importância pedagógica do lúdico na Educação Infantil, aborda a brincadeira como um instrumento facilitador da aprendizagem, e ressalta o brincar como uma fonte prazerosa, no qual a criança interage com o mundo e faze suas próprias descobertas. No momento em que a criança é dominada pela brincadeira e pela fantasia, libera sua imaginação e experimenta novas habilidades, de modo que, assim, explora todo o seu potencial. A ludicidade é sugerida em muitas propostas pedagógicas da Educação Infantil como um instrumento para o ensino de conteúdos, mas quando os jogos e as brincadeiras são compreendidos apenas como recursos pedagógicos, assumem um caráter meramente instrumental porque perdem o sentido da brincadeira e servem somente para sistematização de conhecimentos, isto é, são usados para atingir resultados preestabelecidos. O objetivo principal desse trabalho é reforçar a ideia de que sendo a criança um ser social, e que a apropriação do conhecimento acontece desde o seu nascimento, sendo compartilhado com outras pessoas, o brincar é a sua atividade mais completa. Busca-se, ainda, enfatizar o jogo como uma alternativa que pode contribuir de forma compatível para o desenvolvimento infantil, visto não apenas como competição entre os seres, mas como um estímulo ao crescimento e à autoestima. Por meio das atividades lúdicas, a criança comunica-se consigo mesma e com o mundo, aceita a existência dos outros, estabelece relações sociais, constrói conhecimentos, e desenvolve-se integralmente. Para tanto, realizou-se uma pesquisa bibliográfica, tendo como referencial teórico, os seguintes autores: Kishimoto (1996, 1998); Maluf (2008); Oliveira (2007); e o documento Brasil (1998).
PALAVRAS-CHAVE: Criança. Lúdico. Desenvolvimento. Imaginação.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil. Brasília, DF: MEC, 1998.

KISHIMOTO, Tizuko M. O Jogo e a Educação Infantil. São Paulo: Pioneira, 1994.

______. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez,1996.

KISHIMOTO, T. M. Brinquedo e Brincadeira – Usos e significações dentro de contextos culturais. In: SANTOS, S. M. P., (org.) Brinquedoteca: O lúdico em diferentes contextos. 3ª ed. Petrópolis, Vozes, 1998.

MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Atividades lúdicas para educação infantil: conceitos, orientações e praticas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento um processo sócio histórico. 3. ed. São Paulo: Scipione, 1995.

OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação infantil: Fundamentos e Método. 3 ed, São Paulo; Cortez, 2007.

OLIVEIRA, Z. de M.; MELLO, A. M.; VITÓRIA, T.; FERREIRA, M. C. R. A organização do tempo e do espaço de atividades. In: Creches: crianças, faz de conta & Cia. Petrópolis, RJ: Vozes, 1992.

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

V 3, N. 2, ago-dez. 2017

Revista Acadêmica Educação e Cultura em Debate

VYGOTSKYI, L. S. A formação social da mente. 6ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.