OS IMPACTOS DA APOSENTADORIA RURAL NA SEGURANÇA ALIMENTAR DOS AGRICULTORES FAMILIARES DO MUNICÍPIO DE ITAPURANGA – GOIÁS

Waltuir Batista Machado, Odilon José de Oliveira Neto

Resumo


Este trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos da Aposentadoria Rural na segurança alimentar dos agricultores familiares do município de Itapuranga-Go. Averiguou se é possível constatar a partir de uma comparação entre os agricultores aposentados e os nãos aposentados se a aposentadoria rural contribui significativamente para melhorar os níveis de segurança alimentar dos produtores familiares da região pesquisada. Visando o alcance do objetivo proposto, o estudo analisou comparativamente os produtores aposentados e os não aposentados para a verificação dos efeitos da aposentadoria rural em elementos de segurança alimentar. Foi utilizada a técnica de análise de comparação de grupos e averiguação de frequências, com base nos dados coletados, considerando as várias variáveis pesquisadas. A amostra foi constituída por 70 produtores, sendo o cálculo amostral definido com valor determinado no grau de confiança de 90% e erro amostral de 7%. Os resultados da pesquisa sugerem que a aposentadoria rural provoca impactos na segurança alimentar dos agricultores da região pesquisada.

 

Palavras-chave: Segurança Alimentar. Agricultores Familiares. Aposentadoria Rural.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, R. Uma nova extensão para agricultura familiar. In: Seminário Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural, 1997, Brasília. Anais do Seminário Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rurais. Brasíla: PNUD, 1997.

BELIK, W. Perspectivas para segurança alimentar e nutricional no Brasil. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 12-20, jan-jun. 2003.

BRASIL. Lei nº 11.318, de 05 de julho de 2006. Dispõe sobre o plano plurianual 2004/2007. Poder Executivo, Brasília, DF, 2006.

_________. Constituição Federal de 1988. Poder Executivo, Brasília, DF.

GUANZIROLI, C. E.et .al. Agricultura familiar e reforma agrária no século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2005.

LAMARCHE, H. Aagricultura familiar. Campinas: UNICAMP, 1993.

______. Agricultura familiar. Campinas: UNICAMP, 1997.

LEITE, S. Padrão de financiamento, setor público e agricultura no Brasil. In: LEITE, S. (Org.). Políticas Públicas e Agricultura no Brasil. Porto Alegre, Ed. Da Universidade, 2001.

MALUF, R. S.; MENEZES F.; VALENTE, F. Contribuição ao Tema da Segurança Alimentar no Brasil. Rio de Janeiro: Ágora/Redecapa/Riad, 1995.

MATTEI, L. PRONAF 10 anos: mapa da produção acadêmica. Série Estudos 12 NEAD. MDA, Brasília, 2006.

SEGAL-CORREA, A. M.; SALLES-COSTA, R. Novas possibilidades de alimentação a caminho? Democracia Viva, n. 39 p. 68-73, jun. 2008.

SEGAL-CORREA, A. M.; MARIN-LEON, L. A Segurança Alimentar no Brasil: Proposição e Usos da Escala Brasileira de Medida da Insegurança Alimentar (EBIA) de 2003 a 2009. Segurança Alimentar e Nutricional. 2009.

TRIOLA, M. F. Introdução à Estatística. Rio de Janeiro: LTC, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.