O USO DE AGROTÓXICOS E A SAÚDE DO TRABALHADOR RURAL – SEUS ASPECTOS COMPORTAMENTAIS E FISIOLÓGICOS.

Cinthya Amaral Santos, Humberto César Machado

Resumo


O uso de agrotóxicos no país e a contaminação causada por esses produtos no meio ambiente e no ser humano é o tema de destaque do presente artigo. O objetivo do mesmo é fazer uma análise jurídica do uso de agrotóxicos e sua relação com a saúde física mental do trabalhador rural. Justifica-se, pois é importante para a sociedade conhecer os perigos que advém do uso e consumo de produtos agrícolas. A metodologia utilizada foi à pesquisa bibliográfica e exploratória em que foram analisados textos e artigos científicos que tratam do tema, fazendo uma abordagem crítico-científica da questão. A leitura do tema aponta que existe uma necessidade clara de mudança por parte do Estado na tentativa de alteração desse quadro alarmante de intoxicação ambiental em relação ao ser humano e meio ambiente em seu aspecto legal. Conclui-se que o controle químico deve ser aplicado utilizando-se de todos os métodos que evitem problemas toxicológicos tanto para o homem como para o ambiente em que se vive.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES FILHO, J. P. Uso de agrotóxicos no Brasil: controle social e interesses corporativos. São Paulo: Annablume, 2002.

ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Divulgado o monitoramento de agrotóxicos em alimentos. Brasília, DF. Publicado em 15 de abril de 2009. Disponível em:

AUSTRALIAN BUREAU OF STATISTICS. Mental health and well being profile of adults Queensland (4326.3.40.001). Canberra:AGPS, 1997.

BRASIL. Lei 7.802/89. Lei dos agrotóxicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7802.htm. Acesso em: 20 de fevereiro de 2015.

__________PL. 1924. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7802.htm. Acesso em: 20 de fevereiro de 2015.

_________. Decreto 4.074 de 04 de janeiro de 2002. Disponível em: http://www6.senado.gov.br/sicon/ExecutaPesquisaBasica.action. Acesso em: 10 janeiro 2010.

BRAGA, B.; HESPANHOL, I.; CONEJO, J. G. L.; MIERZWA, J. C.; BARROS, M. T. L.; SPENCER, M.; PORTO, M.; NUCCI, N.; JULIANO, N.; EIGER,S. Introdução à engenharia ambiental. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. ISBN 85-7605-041-2.

BRIGANTE, J.; ESPÍNDOLA, E. L. G.; POVINELLI, J.; ELER, M. N.; SILVA, M. R. C.; DORNFELD, C. B.; NOGUEIRA, A. M. Avaliação ambiental do rio MogiGuaçu:resultados de uma pesquisa com abordagem ecossistêmica. São Carlos: Rima, 2002.

EDWARDS, C.A. Impact of herbicides on soil ecosystems. Critical Reviews in Plant Science, London, v. 8, p. 221-257, 1989.

EHLERS, E. M. Agricultura sustentável: origens e perspectivas de um novo paradigma, São Paulo: Livros da Terra, 1996.

FARIA, N.M.; FACHINI, A. A.; FASSA, A. G.; TOMASI, E. Estudo transversal sobre a saúde mental de agricultores da Serra Gaúcha. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.16, n.1, p. 115-128, 2000.

GONSALVES, P. E. Maus hábitos alimentares. São Paulo:Agora, 2001.

KAUARK, Fabiana e MEDEIROS, Carlos Henrique. Metodologia da pesquisa : guia prático. Itabuna : Via Litterarum, 2010.

KLIASS, Paulo. Brasil, campeão global no uso de agrotóxicos: 20% do total mundial. Disponível em: http://www.contraprivatizacao.com.br/2013/01/brasil-campeao-global-no-uso-de.html.b Acesso em: 12 de fevereiro de 2015.

LEVIGARD, I. E. A interpretação dos profissionais de saúde acerca das queixas de nervoso no meio rural – Uma aproximação ao problema de intoxicações por agrotóxicos. Rio de Janeiro, 2001. Dissertação (Mestrado em saúde do Trabalhador e Ecologia Humana). Escola nacional de Saúde Pública.

LISBOA, Rhosana; SENA, Jessé; DUTRA. Uso de agrotóxicos na produção de hortaliças da bacia hidrográfica do Natubá, afluente do tapacurá - PE e consequências sobre o meio ambiente e a saúde dos agricultores. II Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica. João Pessoa – PB.

LONDRES, Flávia. Agrotóxicos no Brasil: um guia para a defesa da vida. Rio de Janeiro: AS-PTA – Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa, 2011.

MACHADO, S. L. de O. ; MARCHEZAN, E. ; VILLA, S. C. C. ; CAMARGO, E. R. . Os recursos hídricos e a lavoura arrozeira. Revista Ciência Ambiente, Santa Maria, v. 27, p. 97-106, 2003.

MINUANO. Carlos. Brasil: liderança no uso de agrotóxicos. Disponível em: http://namu.com.br/materias/brasil-lideranca-no-uso-de-agrotoxicos. Acesso em 12 de fevereiro de 2015.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. O uso de agrotóxicos no Brasil. Disponível em http://www.mma.gov.br/seguranca-quimica/agrotoxicos . Acesso em: 12 de fevereiro de 2015.

OLIVEIRA, L. A. G. de. Determinação de resíduos de agrotóxicos organoclorados em laranja por dispersão de matriz em fase sólida (MSPD). 2006. 103f. Dissertação (Mestrado em ecologia e produção sustentável). Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia.

PERES, Frederico; et al. Desafios ao estudo da contaminação humana e ambiental por agrotóxicos. Ciênc. saúde coletiva v.10 supl.0 Rio de Janeiro set./dez. 2005.

_________F., Moreira, J. C. & Luz, C. Os impactos dos agrotóxicos sobre a saúde e o ambiente. Ciênc. saúde coletiva, 12(1). 2007.

PICKETT, W.; KING, W. D.; LESS, R. E.; MORRISON, H. I.; BRISON, R. J. Suicide mortality and pesticide use among Canadian farmers. American Journal Industrial Medicine, v. 16, n. 1, p. 115-128, 1998.

PINOTTI, M. M. Z.; SANTOS, J. C. P. From the ancient times of the agriculture to the biological control in plants: a little of the history. Ciência Rural, v. 43, n. 10, p. 1797-1803, 2013.

RECENA, M. C. P.; CALDAS, E. D.; PIRES, D. X.; ROSE, E.; PONTES, J. C. Pesticides exposure in Culturama, Brazil: Knowledge, attitudes, and practices. Environmental Research, v. 102, p. 230-236, 2006.

RIBAS, P. P.; MATSUMURA, A. T. S. A química dos agrotóxicos: impactos sobre a saúde e meio ambiente. Revista Liberato, v. 10, n. 14, p. 149-158, jul./dez., 2009.

ROCHA JÚNIOR, Dimas, et al. Síndromes Neurológicas Induzidas por Praguicidas Organofosforados e a Relação com o Suicídio. Saúde em revista. Vol. 6. Piracicaba. São Paulo. 2004.

SANTOS, M. L.; PYHN, E.G. Idade biológica, comportamento humano e renovação celular. São Paulo: SENAC, 2003.

_________ M R. dos. Agrotóxicos: uma unidade temática de ensino. Monografia. Universidade Federal de Minas Gerais. Licenciatura em Química. Instituto de Ciência Exatas, 2007.

SILVA, J. J. O.; ALVES, S. R.; MEYER, A.; PEREZ, F.; SARCINELLI, P. N.; MATTOS, R.; C. C., MOREIRA, J. C. Influência de fatores socioeconômicos na contaminação por agrotóxicos. Revista Saúde Pública, v.35, n.2, p. 130-135, 2001.

SINDAG. Sindicato Nacional da Industria de Produtos para Defesa Agrícola. Disponível em www.sindag.com.br. Acesso em setembro de 2010.

TERRA, M A Da C; PEDLOWSKI, M A. As características e repercussões sócio-ambientais do uso de agrotóxicos em um assentamento de reforma agrária no norte fluminense. XIX encontro nacional de geografia agrária, São Paulo, 2009, pp. 1-25.

VEIGA, M. M.; SILVA, D. M.; VEIGA, L. B. E.; FARIA, M. V. C. Análise da contaminação dos sistemas hídricos por agrotóxicos numa pequena comunidade rural do Sudeste do Brasil. Caderno de Saúde Pública.vol.22 n°.11 Rio de Janeiro, p. 2391- 2399, Nov/2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.