TRANSTORNO DE ANSIEDADE NA INFÂNCIA: ALTERAÇÕES COGNITIVAS E OS IMPACTOS NA APRENDIZAGEM ESCOLAR NA TERCEIRA INFÂNCIA. | Santos | Psicologias em Movimento

TRANSTORNO DE ANSIEDADE NA INFÂNCIA: ALTERAÇÕES COGNITIVAS E OS IMPACTOS NA APRENDIZAGEM ESCOLAR NA TERCEIRA INFÂNCIA.

Havanny Siqueira Santos, Ana Tereza Dias Vasques, Gleiton Nunes de Azevedo

Resumo


O presente estudo baseia-se em um levantamento bibliográfico de dados sobre a ansiedade infantil e os impactos na aprendizagem escolar na terceira infância. O transtorno de ansiedade torna-se cada vez mais comum na infância, envolvendo uma interação complexa e multifatorial, que pode indicar baixo desempenho em diversas funções cognitivas e, assim, refletir diretamente no aprendizado. O objetivo deste trabalho é apresentar uma discussão atualizada acerca do tema, atreladas às dificuldades de aprendizagem escolar, os sintomas e as causas, descrever o quadro do transtorno de ansiedade e discorrer sobre os aspectos neuropsicológicos das alterações cognitivas, bem como relatar sobre os impactos na aprendizagem da terceira infância. Os dados foram coletados através de artigos científicos disponíveis em meio eletrônico. Foi analisado que crianças com sintomas ansiosos são predispostas a apresentarem danos na memória de trabalho, na atenção, na velocidade de processamento, e funções executivas que interferem em suas habilidades sociais e escolares. Conclui-se que a ansiedade pode afetar o desempenho escolar, prejudicando a capacidade de recordar ou recuperar um conteúdo aprendido em um momento de apreensão. Neste sentido, atesta-se desempenho cognitivo inferior, um dado preocupante. Diante disso fazse necessários estudos futuros para comparar o desempenho cognitivo e especificar as causas e os prejuízos. Palavras-chave: Ansiedade. Transtorno de ansiedade. Terceira infância. Neuropsicologia. Dificuldade de aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ASBAHR, Fernando R. Transtornos ansiosos na infância e adolescência: aspectos clínicos e neurobiológicos. Jornal de Pediatria, v.80, n. 2, p. 28-34, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0021-75572004000300005. Acesso

em: 16 nov. 2021.

BERTTI, C.T. A influência dos aspectos emocionais nos distúrbios

de aprendizagem: uma revisão. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 5, p. 01-13, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.26843/rencima.v9i5.2028. Acesso em: 16 nov. 2021.

CASTILLO, A. R. GL. et al. Transtornos de ansiedade. Brazilian Journal of Psychiatry, v. 22, p. 20-23, 2000. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516- 44462000000600006. Acesso em: 16 nov. 2021.

COSTA, E. R. da.; BORUCHOVITCH, E. Compreendendo relações entre

estratégias de aprendizagem e a ansiedade de alunos do ensino fundamental de Campinas. Psicologia: Reflexão e Crítica [online], v.17, n.1, p. 15-24, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-79722004000100004 . Acesso em:

de nov. 2021.

DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2018, p. 365-378.

DAMÁSIO, A. R. En busca de Spinoza: neurobiología de la emoción y los sentimentos. Barcelona: Critica, 2010.

KOHN, P. A.; DREYER, B. TRANSTORNO DE ANSIEDADE INFÂNTIL NA

TERCEIRA INFÂNCIA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. Anuário Pesquisa e Extensão Unoesc São Miguel do Oeste, [S. l.], v. 2, p. e13061, 2017. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/apeusmo/article/view/13061. Acesso em: 16 nov. 2021.

LANDEIRA-FERNANDEZ, J.; SILVA, M.T.A Medo e dor e a origem da ansiedade e do pânico. In: Intersecções entre psicologia e Neurociências. CRUZ, A.P.M. (orgs.) Rio de Janeiro: MedBook, 2007 p. 217-238.

MALLOY-DINIZ, L.F et al.O neuropsicólogo e seu paciente: a construção de uma prática. In: Avaliação Neuropsicológica. MADER J.M et al. (orgs.) 2.ed.. Porto Alegre: Artmed, 2018, p. 10-16.

MALLOY-DINIZ, L.F et al. Atenção. In: Avaliação Neuropsicológica.

COUTINHO, G. et al. (orgs.) 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2018, p. 84-89.

MALLOY-DINIZ, L.F et al. O exame das funções cognitivas. In: Avaliação Neuropsicológica. 2.ed. . Porto Alegre: Artmed, 2018, p. 90-105.

MALLOY-DINIZ, L. F et al. Neuropsicologia no Brasil. In: Neuropsicologia teoria e prática. MENDONÇA, L.I.Z; AZAMBUJA D. (orgs.) 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2014 p. 409-426.

MANGOLINI, V. I.; ANDRADE, L. H.; WANG, Y.-P. Epidemiologia dos transtornos de ansiedade em regiões do Brasil: uma revisão de literatura. Revista de Medicina, [S. l.], v. 98, n. 6, p. 415-422, 2019. DOI: 10.11606/issn.1679- 9836.v98i6p415-422. Disponível em:

https://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/144226. Acesso em: 16 nov. 2021.

MUNIZ, M.; FERNANDES, D.C. Autoconceito e ansiedade escolar: um estudo com alunos do ensino fundamental. Psicologia Escolar e Educacional, SP, v. 20, n. 3, Setembro/Dezembro de 2016, p. 427-436. Disponível em: https://www.redalyc.org/comocitar.oa?id=282349447002. Acesso em: 16 nov. 2021.

PAPALIA, D. E.; FELDMAN, R. D. Desenvolvimento físico e cognitivo na terceira infância. In: Desenvolvimento Humano. 12.ed. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: AMGH editora, 2013, p.314-353.

PAPALIA, D. E.; FELDMAN, R.D. Desenvolvimento psicossocial na terceira infância. In: Desenvolvimento Humano. 12.ed. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: AMGH editora, 2013, p.354-383.

RODRIGUES, C.L. Aspectos neuropsicológicos do transtorno de ansiedade na infância e na adolescência: Um estudo comparativo entre as fases pré e pós tratamento medicamentoso. 146f. Dissertação (Mestrado em Ciências) -

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

VIANNA, Renata Ribeiro Alves Barboza; CAMPOS, Angela Alfano; LANDEIRAFERNANDEZ, Jesus. Transtornos de ansiedade na infância e adolescência: uma revisão. Rev. bras.ter. cogn., Rio de Janeiro , v. 5, n. 1, p. 46-61, jun. 2009. Disponível em

&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 16 nov. 2021.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.