A APRENDIZAGEM PARA ALUNOS COM SÍNDROME DE DOWN POR MEIO DE MATERIAIS MANIPULATIVOS

Maria Josilâne Pereira de Oliveira Souza, Renata Gonçalves Lacerda Oliveira

Resumo


Este trabalho tem como objetivo a intenção de possibilitar recursos didáticos para uma melhor assimilação e compreensão no ensino da Geometria, através do manuseio de materiais manipulativos para alunos com a Síndrome de Down. Para o desenvolvimento do estudo foram realizadas pesquisas bibliográficas, sobre alguns documentos que discutem a temática sobre a inclusão escolar, a matemática e a Síndrome de Down. O estudo apontará sugestões de aplicações dos materiais manipulativos na geometria, já que os materiais manipulativos, é um ótimo recurso didático que contribui para a formação das imagens mentais, que podem desenvolver o pensamento de conceitos da geometria, dificuldades essa mais acentuada nos alunos com Síndrome de Down. Vale enfatizar que esses materiais concretos não só possibilitam a aprendizagem do aluno com Down, como também de todos os outros alunos no desenvolvimento do raciocínio lógico e matemático, portanto os professores devem buscar criar um ambiente para a construção do ensino e aprendizagem.

Palavras-Chave: Ensino de Matemática. Síndrome de Down. Materiais Manipulativos.


Texto completo:

PDF

Referências


BASSANI, Cecília da Silva. A Síndrome de Down e as dificuldades de aprendizagem. (Trabalho de Conclusão de Curso em Anhanguera Educacional S.A), Taboão da Serra-SP, 2012.

BOURSCHEID, Sabrina. O Ensino-Aprendizagem da Matemática para Aluno com Síndrome de Down em Contexto de Inclusão: um estudo de caso. (Trabalho de Conclusão de Curso). Sinop-MT, 2008, 120f.

V 5, N. 1, jan-dez. 2019

Revista Acadêmica Educação e Cultura em Debate

BRASIL. Lei nº 9.394, de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2018.

CORREA, Sérgio. Novo Manual Nova Cultural: matemática. São Paulo: Nova Cultural, 2000.

DESIDERIO, E. A. Gomes; MARCONDES, F. G. Vieira. O Aluno com Síndrome de Down e a Matemática: investigando conceito de área com as barras de cuisenaire. In: Revista de Educação Matemática na Contemporaneidade: desafios e possibilidades. São Paulo-SP, julho de 2016.

FERREIRA, Aurélio B. de Holanda. Novo Aurélio século XXI: o dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

GOMES, R. A. Oliveira. Processo de ensino-aprendizagem para alunos portadores de Síndrome de Down. (Graduação em Matemática pela Universidade Estadual da Paraíba). Campina Grande-PB, 2011.

MANTOAN, Maria T. Eglér. Inclusão escolar: o que é? porquê? Como fazer? 2. ed. São Paulo: Moderna, 2006.

MIRANDA, Daniele de. Como Construir o Tangram? Disponível no site: . Acesso em 16 de out. 2018.

MURARI, Claudemir. Experienciando Materiais Manipulativos para o Ensino e a Aprendizagem da Matemática. In: Boletim de Educação Matemática, vol. 25, nº. 41, dez. 2011.

POLLON, Rosane. Tangram: Material Didático Para Resolução de Problemas. In: Cadernos PDE. Volume II. Paraná, 2013.

PRIETO, Rosângela Gavioli. Atendimento Escolar de Alunos com Necessidades Educacionais Especiais: um olhar sobre as políticas públicas de educação no Brasil. In: ARANTES, Valéria Amorim (Org.). Inclusão Escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006.

SARMENTO, A. K. Carvalho. A utilização dos materiais manipulativos nas aulas de Matemática. Piauí, 2008.

SILVA, J. Francisco da. Materiais Manipulativos: uma reflexão acerca desse recurso didático na aprendizagem de Geometria no Ensino Fundamental. (Trabalho de Conclusão de Curso em Universidade Federal da Paraíba). Araruna-PB, 2014.

YOKOYAMA, L. Akio. Uma abordagem multissensorial para o desenvolvimento do conceito de número natural em indivíduos com Síndrome de Down. (Tese de doutorado, Universidade Bandeirantes de São Paulo. Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática). São Paulo, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.