GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: UM ESTUDO DE CASO NA “FEIRA HIPPIE” EM GOIÂNIA-GO

Thatiele Guedes de Oliveira Sousa, Lidiane Lopes Ribeiro, José Humberto da Silva

Resumo


O presente artigo busca apresentar a importância da coleta seletiva na Feira
Hippie de Goiânia. A problemática abordada neste artigo surge por meio da busca pelos
motivos que dificultam a implantação de um projeto de coleta seletiva no âmbito da Feira
Hippie. O objetivo foi diagnosticar quais os motivos que impossibilitam a implantação da
coleta seletiva naquele local. Procurou verificar se as políticas públicas direcionadas a gestão
de resíduos sólidos no município atendem aos usuários das feiras livres. Os procedimentos
adotados para validação desta investigação foi à pesquisa do tipo descritiva e exploratória, por
meio de revisão bibliográfica e estudo de caso realizado por entrevistas. Os resultados obtidos
junto aos Órgãos Responsáveis e feirantes demonstram que apesar de existir um programa de
coleta seletiva o mesmo não está ou não foi devidamente implantado, não atendendo as
necessidades das pessoas que trabalham ou utilizam aquele local. O quadro apresentado na
feira hippie mostra que o investimento da administração municipal não vai ao encontro da
gestão integrada e sustentável dos resíduos sólidos urbanos quando se trata dos resíduos
provenientes de feiras livres.


Referências


ALMEIDA, Andrade Priscila. Análise da Politica Nacional de Ciência, Tecnologia e

Inovação em Saúde, (1990 a 2004): a influência de atores e agendas internacionais. 224f.

Dissertação, (Mestrado em Politica Social) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade de

Brasília, 2007. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dissertacaoPriscilaAndrade.pdf> Acesso em: 20 de

Setembro de 2012

AMORIM, Valter Pedrosa. Resíduos Sólidos Urbanos: O problema e a solução, Brasília:

Roteiro Editorial Ltda.1996.

BERRY, Thomas. O sonho da terra. Petrópolis: Vozes, 1991

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. O que é agenda 21. Marcos Referenciais do

Desenvolvimento Sustentável. Disponível em:

=conteudo.monta&idEstrutura=18&idConteudo =573>.Acesso em 15 de novembro de 2012

CALDERONI, Sabetai. Os Bilhões Perdidos no Lixo ed.Humanitas, São Paulo, 1997.

COSTA, Sandro Luiz. Gestão integrada de resíduos sólidos urbanos: aspectos e

ambientais. Aracaju: Evocati, 2011.

CASTRO, Marcus Cesar Avezum Alves. A gestão de Resíduos Domiciliares: Realidade e

Perspertivas. São Carlos: UFSCar, 2007, p.146.

DEMAJOROVIC, J. 1995. Da política tradicional de tratamento do lixo à política de

gestão de resíduos sólidos. As novas prioridades. Revista de Administração de Empresas.

São Paulo, v. 35, n.3.

FREY, Klaus. Políticas Públicas: um debate conceitual e reflexões referentes á prática da

análise de políticas públicas no Brasil: Planejamento e Políticas Públicas, 21: 211- 259.

Disponível em: http://www.ipea.gov.br/ppp/index.php/PPP/article/viewFile/89/158 Acesso

em: 01 de Outubro de 2012.

GAETANI, Francisco. Politica de gestão pública integrada: As políticas de gestão pública e

os desafios da coordenação. Editora Projetos, FGV, 2008.p.38.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

JARA, Carlos Júlio, A sustentabilidade do desenvolvimento local – Desafios de um

Processo em Construção Brasília 1998.

LIMA, José Dantas, Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos no Brasil. Rio de Janeiro: ABES

, p. 21.

MACEDO R. K., Gestão Ambiental. Os instrumentos básicos para a gestão ambiental de

territórios e de unidades produtivas. Rio de Janeiro, 1994.

MARTINS Júnior, O. Pires. Introdução aos Sistemas de Gestão Ambiental: Teoria e

Prática. Goiânia, GO: Kelps, 2005.p.49.

MENDONÇA, Francisco de Assis. Geografia e Meio Ambiente. - 3. Ed. – São Paulo:

Contexto, 1998.p.66.

MICHEL, Maria Helena. Metodologia e Pesquisa Científica em Ciências Sociais: Um guia

prático para acompanhamento da disciplina e elaboração de trabalhos monográficos. 2.ed. São

Paulo: Atlas, 2009.p.42.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa. 4. ed. São

Paulo. Atlas, 1999.

MOURA, Luiz Antônio Abdalla de. Qualidade e Gestão Ambiental. 3.ed. São Paulo, Juarez

de Oliveira, 2002.

RAMOS, Adriana. Almanaque Brasil Socioambiental 2008.

REIGOTA, Marcos; NOAL, Fernando Oliveira (orgs.). Tendência da educação ambiental

brasileira. 2.ed. Santa Cruz do Sul: EDUNISC: 2002.

SACHS, I. Estratégia de Transição para o século XXI. Estúdio Nobel: São Paulo, 1993.

SINGER, P. A recente ressurreição da economia solidária no Brasil. Santos: B.S., 2002.

SIRVINSKAS, Luís Paulo. Manual de direito ambiental. 3. ed., São Paulo: Saraiva, 2005.

TACHIZAWA, T. Gestão ambiental e responsabilidade social corporativa. 6. ed. São

Paulo: Editora Atlas, 2009.

_____. Gestão ambiental e responsabilidade social corporativa: estratégias de negócios

focadas na realidade brasileira, 2 ed. revista e ampliada. São Paulo: Editora Atlas, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.