A ECONOMIA BRASILEIRA NO PLANO REAL: Um enfoque na política monetária do primeiro governo FHC – 1995 a 1998

Amós da Silva Santos

Resumo


O presente trabalho tem como objeto de estudo a economia brasileira no primeiro governo FHC, abordando em especial a política monetária e, particularmente, o compulsório bancário, aplicado no período. Objetivou-se analisar a política implantada com a teoria econômica, enfatizando os principais conceitos referentes ao tema estudado. Analisou-se o primeiro governo FHC, evidenciando algumas variáreis econômicas que surtiram grande efeito após a implantação do Plano Real e verificou-se a importância dos depósitos compulsórios no combate à inflação após o Plano Real, destacando as principais medidas tomadas pelo governo entre 1995-1998. Os resultados mostram que estes depósitos compulsórios tiveram grande importância no âmbito da política monetária implantada no período, contribuindo para a redução dos níveis de inflação e, por conseguinte, proporcionando conviver com uma economia estabilizada.

Palavras-chave: Moeda. Inflação. Banco Central. Depósitos Compulsórios. Spread.


Texto completo:

PDF

Referências


BANCO CENTRAL DO BRASIL. Juros e Spread Bancário no Brasil. 1999. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/ftp/juros-spread1.pdf. Acesso em: 28 set. 2011.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatório de Inflação: Moeda e Crédito. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pec/boletim/banual98/rel1998cap2p.pdf. Acesso em: 08 set. 2011.

BERCHIELLI, Francisco O. Economia Monetária. São Paulo: Saraiva, 2003.

BLANCHARD, Olivier. Macroeconomia. 3.ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004.

CARVALHO, Carlos Eduardo. Bancos e Inflação no Brasil: Comentários Depois do Plano Real. Disponível em:http://www.pucsp.br/pos/ecopol/downloads/Ecopol/2002/TD0902.pdf Acesso em: 19 set. 2011.

FROYEN, Richard T., Macroeconomia. São Paulo: Saraiva, 2005.

GARCIA, Márcio. Compulsório, Crédito e Política Monetária. Disponível em: http://www.econ.puc-rio.br/mgarcia/artigos/compulsorio.pdf Acesso em: 27 set. 2011.

GARCIA, Márcio. Compulsórios mais elevados tornam a elevação de juros desnecessária. Disponível em:http://www.econ.puc-rio.br/mgarcia/Artigos/Artigos%20Valor/100227%20Compulsorios%20v04.pdf Acesso em: 26 set. 2011.

GARCIA, Márcio. Política Monetária, Depósitos Compulsórios e Inflação. Disponível em: http://www.econ.puc-rio.br/mgarcia/Papers/Pol%20Mon%20Dep%20e%20Infl%20-%201994.PDFAcesso em: 30 mar. 2011.

GRASEL, Dirceu. Brasil: Plano Real e a Estabilização Econômica Inacabada. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/download/225/158 Acesso em: 30 mai. 2011.

GREMAUD, Amaury Patrick; VASCONCELLOS, Marco Antônio Sandoval de, TONETO JÚNIOR, Rudinei. Economia Brasileira Contemporânea. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HILLBRECHT, Ronald. Economia Monetária. São Paulo: Atlas, 1999.

IPEA DATA, Ipeadata macroeconômico, Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br/Default.aspx, Acesso em: 15 set. 2011.

LACERDA, Antônio Correia de (et al.). Economia Brasileira. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

LOURO, Gilmara Gerheim; MOTA, Márcia Medeiros. Plano Real: um estudo introdutório sobre o controle da inflação e suas conseqüências sócio-econômicas, no período 1994-2002. Disponível em: http://www.viannajr.edu.br/revista/eco/doc/artigo_40001.pdf Acesso em: 18 ago. 2011

MANHIÇA, Felix Antonio; JORGE, Caroline Teixeira. O Nível da Taxa Básica de Juros e o Spread Bancário no Brasil: uma análise de dados em painel. Disponível em: http://anpec.org.br/encontro/2011/inscricao/arquivos/000-bc5c1325d04143f96fe1e31f7f428eda.pdf. Acesso em: 04 set. 2011

MOREIRA, Edison Marques. Política Monetária: a fase inicial do Plano Real. Disponível em: http://revistas.fee.tche.br/index.php/indicadores/article/viewFile/770/1031Acesso em: 04 set. 2011.

OLIVEIRA, Gesner. Brasil Real: Desafios da pós-estabilização na virada do milênio. São Paulo: Mandarim, 1996.

OREIRO, José Luís (et al.). Determinantes Macroeconômicos do Spread Bancário no Brasil: Teoria e Evidência Recente. Disponível em:http://www.conjuntura.com.br/fhono/arquivos/spread.pdfAcesso em: 26 set. 2011.

POHLMANN, Éverton Luís; TRICHES, Divanildo. Análise do desempenho da política monetária no Brasil após o Plano Real. Disponível em: http://www.perspectivaeconomica.unisinos.br/pdfs/80.pdf Acesso em: 31 mar. 2011.

PUGA, Fernando Pimentel. Uma Estimação dos Efeitos dos Compulsórios sobre o Spread Bancário, o PIB e a Inflação. Disponível em:http://www.ipea.gov.br/pub/bccj/bc_042j.pdfAcesso em: 19 set. 2011.

RAMOS, Fernando Antônio da Cunha. Análise Comparativa dos Planos Cruzado e Real. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/334/1729.pdf?sequence=1Acesso em: 18 ago. 2011.

RIBEIRO, Edmundo Maia de Oliveira; BARBOSA, Fernando de Holanda. A Demanda de Reservas Bancárias no Brasil. Disponível em: http://www.ppge.ufrgs.br/giacomo/arquivos/ecop137/ribeiro-barbosa-2005.pdfAcesso em: 28 set. 2011.

SCHERER, Fernando Luiz, KOWALESK, Paulo Sérgio, REZENDE JÚNIOR, Sebastião Vieira de. A Dinâmica da Inflação Brasileira Após o Plano Real. Disponível em: http://www2.fae.edu/galeria/getImage/1/261427409021353.pdf Acesso em: 18 ago. 2011.

SICSÚ, João. A URV e sua função de alinhar os preços. Disponível em: http://www.rep.org.br/pdf/62-6.pdfAcesso em: 20 set. 2011.

SILVA, Júlio Henrique Correa (et al.). Processo de Implantação do Plano Real: Antecedentes e Consequências. Disponível em: http://artigos.yolasite.com/resources/Artigo%20Plano%20Real.pdf Acesso em:30 mai. 2011.

SOARES, Ricardo Pereira. Evolução do Crédito de 1994 a 1999: Uma Explicação. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/pub/td/td_2001/td_808.pdf Acesso em: 10 set. 2011.

SOUZA, Nilson Araújo. Economia Brasileira Contemporânea. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

TEIXEIRA, Ernani. Economia Monetária: a macroeconomia no contexto monetário. São Paulo: Saraiva, 2002.

TRICHES, Divanildo; SIMONETTO, Márcio Luiz. A análise da condução da política monetária após a implementação do Plano Real: 1994 a 2004. Disponível em:http://www.ucs.br/site/midia/arquivos/TD_IPES_16_MAIO_2005.pdf Acesso em: 04 set. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.