AVALIAÇÃO DA DOR EM PACIENTE COM CÂNCER EM CUIDADOS PALIATIVOS A LUZ DA LITERATURA

Julio César Coelho do Nascimento

Resumo


RESUMO: Um dos maiores problemas para tratar a dor está relacionado à dificuldade de diagnosticar e mensurá-la. Principalmente quando se trata da dor no câncer em pacientes em Cuidados Paliativos (CP). Objetivo: identificar através da literatura quais os instrumentos usados para avaliar a dor de pacientes com câncer em cuidados paliativos e analisar quais os mais adequados para esta avaliação. Materiais e Métodos: Estudo de revisão integrativa da literatura. A busca foi realizada nas bibliotecas: LILACS e PubMed. Os artigos encontrados passaram por testes de relevância TR I (Critérios de inclusão e exclusão), TR II (Seleção dos artigos a partir dos resumos e exclusão das repetições) e TR III(Leitura dos artigos na íntegra). Resultados: Identificou-se diferentes instrumentos usados para avaliar a dor, dentre eles: as escalas unidimensionais (escala visual numérica – EVN, escala visual analógica- EVA, escala de cores e escala de faces) e as escalas multidimensionais (Edmonton Symptom Assessment System (ESAS) e McGill Questionnarie. Conclusões: Os estudos demonstraram que a EVN e a EVA são as mais utilizadas e avaliam a dor a nível de intensidade, no entanto elas não apresentam eficácia quando se trata de pacientes com prejuízos cognitivos. Para esta situação, indica-se o uso da escala de faces. No que se refere as escalas multidimensionais, elas avaliam o efeito da dor no humor, durante atividades cotidianas e também na qualidade de vida. Portanto, para avaliar o paciente com dor é preciso observar sua condição clínica para a escolha da escala mais adequada.

 

Palavras chaves: Câncer. Dor. Avaliação da dor. Cuidados Paliativos.


Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, J.P. El tratamiento del dolor por câncer en el final de la vida: estudio de caso en un servicio de cuidados paliativos de la Ciudad Autónoma de Buenos Aires. Salud Colectiva, v.9, n. 1, p.41-52, 2013.

AMARAL, J.B.; CALASANS, M.T.A. As dimensões da dor na pessoa sob cuidados paliativos. In: SILVA, R.S.; AMARAL, J.B.; MALAGUTTI, W. Enfermagem em Cuidados Paliativos: cuidando para uma boa morte. São Paulo: Martinari, 2013, p. 149-164.

BOTTEGA, F. H.; FONTANA, R. T. A dor como quinto sinal vital: utilização da escala de avaliação por enfermeiros de um hospital geral. Texto Contexto Enferm, v. 19, n.2, p. 283-290, 2010.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE, Estimativa 2014. Rio de Janeiro: INCA, 2014. Acesso em 17 de fevereiro de 2015. Disponível em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2014/estimativa-24042014.pdf

BRASILEIRO, M. E.; SILVA, L. C. S. Metodologia da pesquisa científica aplicada à enfermagem. Goiânia: AB; 2011.

BRUNELLI, C. et al. Comparison of numerical and verbal rating scales to measure pain exacerbations in patients with chronic cancer pain. Health and Qualityof Life Outcomes, v.8, n. 4, p. 1-8, 2010.

CARVALHO, M. W. A.; NÓBREGA, M. M. L.; GARCIA, T. R. Processo e resultados do desenvolvimento de um Catálogo CIPE® para dor oncológica. Rev Esc Enferm USP, v. 47, n. 5, p. 1061-1068, 2013.

GOMES, P. C. A bioética e a dor: algumas reflexões. In: LEÃO, E. R.; CHAVES, L. D. (Org.). Dor 5º sinal vital: reflexões e intervenções de enfermagem. São Paulo: Martinari, 2007.

GUERRA, Y. G.; NÚÑEZ, P. P. B.; MONTEAGUDO, C.R.A. Evaluación de la calidad de la atención del paciente con dolor en fase terminal: estudio descriptivo transversal. Revista Medwave, v. 12, n.6, p. 1-7, 2012.

Instituto Nacional de Câncer (Brasil). Ações de enfermagem para o controle do câncer: uma proposta de integração ensino-serviço. 3ª ed. Rio Janeiro: INCA, 2008.

KNON, J.H. et al. Experience of Barriers to Pain Management in Patients Receiving Outpatient Palliative Care Journal of Palliative Medicine, v.16, n.8, p. 908-914, 2013.

LIMA, D. A. et al. Pain evaluation in cancer patients admitted to a teaching hospital of the Northeastern region of Brazil. Rev Dor. São Paulo, v.14, n.4, p. 267-2671, 2013 .

MARTINEZ, J. E.; GRASSI, D.C.; MARQUES, L. G. Análise da aplicabilidade de três instrumentos de avaliação de dor em distintas unidades de atendimento: ambulatório, enfermaria e urgência. Rev Bras Reumatol, São Paulo, v. 51, n.4, p. 299-308, 2011.

MINSON et al. Procedimentos intervencionistas para o manejo da dor no câncer. Einstein, v.10, n. 3, p. 292-295, 2012.

MITERA et al. Retrospective Assessment of Cancer Pain Management in an Outpatient Palliative Radiotherapy Clinic Using the Pain Management Index. Journal of Pain and Symptom Management, Toronto – CAN, v.39, n.2, 2010.

MONTEIRO, D.R.; ALMEIDA, M.A; KRUSE, M.H.L. Tradução e adaptação transcultural do instrumento Edmonton SymptomAssessment System para uso em cuidados paliativos. Rev Gaúcha Enferm, Porto Alegre, v. 34, n.2, p. 163-171.

MORAIS, F. F. et al. Avaliação da dor como quinto sinal vital na classificação de risco: um estudo com enfermeiros. Revista Ciência & Saúde, v. 2, n. 2, p. 73-77, 2009.

MORETE, M.C.; MINSON, F.P. Instrumentos para a avaliação da dor em pacientes oncológicos. Rev Dor, São Paulo,v. 11, n. 2, p. 74-80, 2010.

MUÑOZ, E.; MONJE, D. Valoración de Dolor Total enel Policlínico Alivio delDolor y Cuidados Paliativos delComplejoHospitalario San José. Revista El Dolor, v.19, n. 54, p. 26-34, 2010.

NAIME, F. F. Manual do tratamento da dor: dor aguda e dor de origem oncológica: tratamento não invasivo. Barueri, SP: Manole, 2013. p. 18 -19.

NASCIMENTO, L. A.; KRELING, M. C. G. D. Avaliação da dor como quinto sinal vital: opinião de profissionais de enfermagem. Rev Acta Paul Enferm, v. 24, n. 1, p. 50-54, 2011.

OGUISSO, T.; SCHMIDT, M. J. O Exercício da Enfermagem: uma abordagem ético-legal. 3ª Ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan 2010.

RIBEIRO, N. C. et al. O enfermeiro no cuidado à vítima de trauma com dor: o quinto sinal vital. Rev Esc Enferm USP, São Paulo v. 45, n. 1, p. 146-152, 2011.

SANTOS, C.C. et al. Aplicação da versão brasileira do questionário de dor Mcgill em idosos com dor crônica. Rev Acta Fisiatr, São Paulo, v.13 n. 2, p. 75-82.

SILVA, T. O. N.; SILVA, V. R.; MARTINEZ, M. R.; GRADIM, C. V. C. Avaliação da Dor em pacientes oncológicos. Rev. Enferm. UERJ, v. 19, n.3, p. 359-363, 2011.

SORIN, B.M.D.; JOSÉ, E.; SARRIA, M.D.The Management of Pain Metastatic Bone Disease.RevCancerControl. v. 19, nº 2, p. 154-166, 2012.

WATERKEMPER, R.; REIBNITZ, K. S. Cuidados Paliativos: a avaliação da dor na percepção de enfermeiras. Rev Gaúcha Enferm., v. 31, n. 1, p. 84-91, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.