TOXINA BOTULÍNICA TIPO A: APLICAÇÃO E PARTICULARIDADES NO TRATAMENTO DA ESPASTICIDADE, DO ESTRABISMO, DO BLEFAROESPASMO E DE RUGAS FACIAIS

Oneide Aparecida de Souza, Daniella da Silva Porto Cavalcanti

Resumo


Resumo: Por meio da revisão de literatura, procurou-se destacar neste artigo o fato de que a bactériagram positivo Clostridium botulinum produtor da neurotoxina denominada Toxina Botulínica Tipo A (TBA) exerce uma função altamente eficaz na qualidade de vida dos pacientes, tanto em procedimentos terapêuticos, quanto estéticos. Portanto, este artigo correspondeu a uma pesquisa bibliográfica que objetivou evidenciar características e particularidades da Toxina Botulínica Tipo A, conhecida por ser uma das mais potentes toxinas bacterianas de que se tem notícia. Buscou-se evidenciar fatores referentes à eficácia de sua reconhecida ação terapêutica no tratamento de patologias diversas e no campo da medicina Estética em função do envelhecimento.Embora haja ciência de que as possibilidades de ação da TBA são inúmeras e tem encontrado nas mais diversas áreas espaço e eficácia, este estudo se limitou a estudar algumas das características da referida toxina no tratamento da espasticidade, do estrabismo, do blefaroespasmo e de rugas faciais decorrentes, sobretudo, do envelhecimento.

 

Palavras-chave:Toxina Botulínica. Estrabismo. Blefaroespasmo. Espasticidade. Estética.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Tatiane Lopes Teixeira et al. Traumatismo cranioencefálico: reabilitação. Rev. Acta Fisiátrica v. 19, n. 2, 2012. Disponível em: http://www.actafisiatrica.org.br/detalhe_artigo.asp?id=173

ANDRADE, Almir Ferreira de et al. Mecanismos de lesão cerebral no traumatismo cranioencefálico.Ver. Associação Med. Brasil, p. 75-81, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v55n1/v55n1a20.pdf

ANTÔNIO, Carlos Roberto et al. Toxina Botulínica: revisão de sua aplicabilidade em doenças ao alcance do dermatologista. Sociedade Brasileira de Dermatologia, 2015. Disponível em: http://www.surgicalcosmetic.org.br/detalhe-artigo/346/Toxina-botulinica--revisao-de-sua-aplicabilidade-em-doencas-ao-alcance-do-dermatologista

BACHUR, Tatiana Paschoalette Rodrigues et al. Toxina Botulínica:de veneno a tratamento. REPM, v. 3, n. 1, jan. – mar., 2003. Disponível em: http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&frm=1&source=web&cd=1&ved=0CCEQFjAAahUKEwjS5_3Pq8DIAhVBlJAKHURzDJE&url=http%3A%2F%2Fwww.fisfar.ufc.br%2

BRATZ, PâmelaDominkEngers; MALLET, Emanuelle Kerber Vieira.Toxina Botulínica Tipo A: abordagens em saúde. Revista Saúde Integrada, v. 8, n, 15-16, 2015. Disponível em http://local.cnecsan.edu.br/revista/index.php/saude/article/view/232/198. Acesso em 25 maio de 2015.

CHINELATO, Júlio César de Andrade; PERPÉTUO, Adriane Mazela de Araújo; KRUEGER-BECK, Eddy. Espasticidade:aspectos neurofisiológicos e musculares no tratamento com a toxina botulínica do tipo A. Rev. Neuriciências, p. 395-400, 2010.

COLHADO, Orlando Carlos Gomes; BOEING, Marcelo; ORTEGA, Luciano Bornia. Toxina Botulínica no Tratamento da dor.Ver. Bras. Anestesiol, v. 59, n. 3, Campinas, mai. - jun., 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-70942009000300013&script=sci_arttext

FRANCO, Caroline Buarque et al. Avaliação da amplitude articular do tornozelo em crianças com paralisia cerebral após a aplicação da toxina botulínica seguida de fisioterapia. Rev. Paraense de Medicina, v. 20, n. 5, jul. – set. de 2016, p. 42-49. Disponível em

http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?pid=S0101-59072006000300009&script=sci_arttext. Acesso em 03/04/2016.

GIMENEZ, Rodrigo Pinto. Análise retrospectiva das alterações da dinâmica facial após aplicações seriadas de toxina botulínica tipo A. Dissertação de Mestrado apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 2006. Disponível em file:///C:/Users/Odalia%20Bispo/Downloads/RodrigoPintoGimenez.pdf. Acesso em 18 de março de 2016.

JARDIM, Sílvia Rodrigues; RAMOS, Andreia. Lesão cerebral traumática e acidentes de trabalho.Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. v. 29 n. 110. São Paulo, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572004000200004&lng=pt&nrm=iso. Acesso 13 de dezembro de 2015.

LASALVIA, Cíntia Gomes Galvão et al. Custos e eficácia da toxina botulínica tipo A no tratamento do blefaroespasmo e espasmo hemifacial. Arq. Brasileira de Oftalmologia, v. 69, n. 5, 2006. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/abo/v69n5/a16v69n5.pdf. Acesso em 15 de março de 2016.

OLIVEIRA, Sheila Gemelli de; WIBELINGER, Lia Mara; DEL LUCA, Raquel. Traumatismo cranioencefálico: uma revisão bibliográfica. FisioWeb, 2005. Disponível em: http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/neuro/traumatismo_tce.htm. Acesso em 15 de março de 2016.

RIBEIRO, Isar Naves de Souza et al. O uso da Toxina Botulínica tipo a nas rugas dinâmicas do terço superior da face.Revista da Universidade Ibirapuera. São Paulo, v. 7, p. 31-37, jan / jun., 2014. Disponível em http://www.revistaunib.com.br/vol7/03.pdf. Acesso em 21/04/2016

SCHATZMAYR, Hermann G.; BARTH, Ortrud Monika.Bioterrorismo e Microrganismos Patogênicos.História, Ciências, Saúde. Manguinhos, RJ, v. 20, n. 4, out. – dez. de 2013, p. 1735-1749. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-59702013000401735&script=sci_arttext. Acesso em 03/04/2016.

SEGURA, Dora de Castro Aguilhonet al. A utilização da toxina botulínica associada à fisioterapia para controle de espasticidade.Arquivo Ciências Saúde UNOPAR, p. 217-222, set.-dez., 2015. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/

SILVA, Joana Filipa Nogueira da.A aplicação da Toxina Botulínica e suas complicações. Revisão Bibliográfica. Dissertação de mestrado submetida ao Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto, 2011. Disponível em https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/57190/2/Joana%20Filipa%20Nogueira%20da%20Silva%20%20pdf.pdf. Acesso em 21/04/2016.

SOUSA, R. M. C. et al. A gravidade do trauma em vítimas de traumatismo crânio-encefálico avaliada pelo manual AIS/90 e mapa CAIS/85.Revista Latino Americano de Enfermagem.v. 6, n. 1. Ribeirão Preto, jan. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11691998000100007&lng=pt&nrm=iso

SOUZA, Jackson Welinton Teixeira de et al. Traumatismo Cranioencefálico.Revista Saúde e Beleza, 2009. Disponível em: http://www.webartigos.com/artigos/traumatismo-cranioencefalico-tce/16707/

SPOSITO, Maria Matilde de Mello. Toxina Botulínica do Tipo A: mecanismo de ação. Rev. Acta Fisiátrica, v. 16, n. 1, 2009. Disponível em: http://www.actafisiatrica.org.br/detalhe_artigo.asp?id=119. Acesso em 21/04/2016

SUGANO, Débora Mayumi; FERNANDEZ, Celso Lopes; REHDER, José Ricardo Carvalho de Lima. Uso da Toxina Botulínica para a correção de estrabismo. Rev. Brasileira de Oftalmologia,v. 72, n. 5, set. – out. de 2013, p. 321-325. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=690703&indexSearch=ID. Acesso em 03/04/2016.

TREVISOL-BITTENCOURT, Paulo César; TOURNIER, Marcelo B. Bloqueios com fenol para tratamento com espasticidade.Rev. Acta Fisiátrica, v. 15, n. 3, 2008. Disponível em: http://www.actafisiatrica.org.br/detalhe_artigo.asp?id=142


Apontamentos

  • Não há apontamentos.