CARACTERÍSTICAS DA ESCHERICHIA COLI ENTEROHEMORRÁGICA (EHEC)

Joice Lara Rosa Lara Rosa, Renata Ferreira Barros Ferreira Barros, Mônica de Oliveira Santos de Oliveira Santos

Resumo


RESUMO: A Escherichia coli (E. coli) é um microrganismo pertencente à família Enterobacteriaceae, constituindo parte da microbiota normal do trato intestinal de humanos e de animais de sangue quente. A contaminação com a E. coli ocorre através do consumo de água ou alimentos contaminados com a bactéria. A EHEC foi reconhecida como um importante patógeno vinculado a doenças alimentares a partir de 1983 devido a um surto ocorrido pela ingestão de hambúrgueres malcozidos em um restaurante fast food nos Estados Unidos da América. Seu principal reservatório natural é o trato gastrointestinal de bovinos sendo encontrado nas fezes dos mesmos. Para o controle das manifestações clínicas de EHEC é fundamental o estudo de seus mecanismos de evasão e patogenicidade afim de evitar o agravamento dos sintomas provocados por essa bactéria para isso alguns genes e sua proteínas, que conferem fatores de resistência a EHEC, têm sido rastreados e estudados. Este trabalho tem como objetivo principal conhecer a EHEC e suas principais característicasonde será realizado um levantamento bibliográfico, utilizando-se comodescritores: Escherichia coli; Cepa EHEC; Infecções enterohemorrágicas; genes de resistência para EHEC. É de preocupação nacional e internacional o potencial risco que a E.coli enterohemorrágica pode representar para a Saúde Pública.
Palavras-chave:Escherichia coli (E. coli). EHEC. Doenças alimentares.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, S. H. Processos Gerais De Agressão e Defesa: Conteúdos de Bacteriologia. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2015.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Vigilância Epidemiológica. Manual das Doenças Transmitidas por Alimentos. São Paulo. 2002. Disponível em: . Acesso em: 17 mai. 2015.

BAPTISTA, P.; VENÂNCO, A. Os Perigos para a segurança alimentar no processamento de alimentos. Disponível em:. Acesso em: 25 jun. 2015.

BASU, D.; LI, X. P.; KAHN, J. N.; MAIO, K. L.; KAHN, P. C.; TUMER, N. E. The A1 subunit of Shiga toxin 2 has higher affinity for ribosomes and higher catalytic activity than the A1 subunit Shiga toxin 1.J Microbiol Biotechnol. v. 20 (1), p. 5-14, 2015.

BUERIS, V. Interação de Escherichia coli enteropatogênica (EPEC) atípica que apresenta o padrão de adesão localizada-like com a célula epitelial in vitro. 131f. Tese (Doutorado em Ciências - Microbiologia). Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

CAIRES, T. A. Fisiopatologia e Diagnóstico da Síndrome Hemolítica Urêmica. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2015.

CARDOSO, P. A. Ocorrência de cepas de Escherchia coli que apresentam o gene de Shiga toxina em queijo mussarela produzido artesanalmente. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2015.

CARRARO, E. J. C.; GAVA, I. A. O uso de vacinas na profilaxia das infecções do trato urinário. Disponível em: . Acesso em: 17 mai. 2015.

CARVALHO, R.CARNEIRO,G. C.; SOUZA,I. C. R.; PINHEIRO, M. S.; PINHEIRO, S. C.; AZEVEDO, P. S. R.; SANTOS, S. D.; COSTA, A. R. F.; RAMOS, F. L.P.; LIMA, K. V. B. Caracterização fenotípica e genotípica de Serratia marcescens provenientes de Unidade Neonatal de Referência em Belém, Pará, Brasil.Rev Pan-Amazônica de Saúde, n. 1, p.101-106, 2010.

CESTARI, A. L. O.; VILELA, R.; KUNISAWA, J.; LOPES, C. E.Síndrome hemolítico-urêmica relacionada à infecção invasiva pelo Streptococcus pneumoniae. Disponível em:. Acesso em: 15 mai. 2015.

CORRÊIA, F. A. F. Características do Patótipos de E. coli e implicações de E. coli patogênica para aves em achados de abatedouros frigoríficos. Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2015.

DONNENBERG, Michael S. Infecções causadas por Escherichia coli e outro bacilos entéricos gram-negativos.. Acesso em: 20 out. 2015.

DUFFY, G.; GARVEY, P.; WASTESON, Y.; COIA, J. E.; MC DOWELL, D. A. Epidemiology of verototoxigenic E. coli. The National Food Center. p. 2-8, 2001.

FOCACCIA, R; VERONESI, R. Tratado de Infectologia. 3 ed. v. 1. São Paulo: Atheneu, 2005.

GOMI, R.; MATSUDA, T.; FUJIMORI, Y.; HARADA, H.; MATSUI, Y.; YONEDA, H. Characterization of Pathogenic Escherichia coli in River Water by Simultaneous Detection and Sequencing of 14 Virulence Genes.Environ Sci Technol. v. 49 (11), p. 6800-6807, 2015.

GONZALES, C. S.; BADA, C. M.; ROJAS, R. G.; BERNAOLA, G. A.; CHÁVES, C. B. Guia de Prática Clínica sobre El Diagnóstico y Tratamiento de La Diarrea Aguda Infeciosa em PediatríaPerú-2011. Disponível em: . Acesso em: 16 mai. 2015.

KASNOWSKI, M. C. Listeriaspp., Escherichiacoli: Isolamento, Identificação, Estudo Sorológico e Antimicrobiano em Corte de Carne Bovina (Alcatra) Inteira e Moída. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2015.

LIM, J. Y.; YOON, J. W.; HOVDE, C. J. Involvement of the Escherichia coli O157:H7(pO157) effect operon and lipid A myristoyl transferase activity in bacterial survival in the bovine gastrointestinal tract and bacterial persistence in farm water troughs. Infect Immun. v. 73(4), p. 2367-2378, 2005.

MAKINO,K.; ISHI, K.; YASUNAGA, T.;HATTORI, M.; YOKOYAMA, K.;YUTSUDO, C. H.; KUBOTA, Y.; YAMAICHI, Y.; IIDA, T.; YAMAMOTO, K.; HONDA, T.; HAN, C. G.; OHTSUBO, E.; KASAMATSU, M.; HAYASHI, T.; KUHARA, S.;SHINAGAWA, H. Complete Nucleotide Sequences of 93-kb and 3.3-kb Plasmids of an Enterohemorrhagic Escherichia coli O157:H7 Derived from Sakai Outbreak.DNA RESEARCH, v. 5, p. 1-9,1998.

MATOS, N. B. Caracterização Molecular e Fenotípica de Escherichia coli Isoladas de População Infantil no Município de Porto Velho-RO. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2015.

MC WILLIAMS, B. D.; TORRES, A. G. EHEC Adesinas.Microbiol Spectr,v. 2 (2), 2013.

MITTELSTAEDT, S.; CARVALHO, V. M. Escherichia coli enterohemorrágica (EHEC) O157:H7.Rev Inst Ciênc Saúde, v. 24(3), p. 175-182, 2010.

MURRAY, P. R.; ROSENTHAL, K. S.; KOBAYASHI, G. S.; PFALLER, M. A. Microbiologia Médica. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014, 888p.

NATARO, J. P.; KAPER, J.B. Diarrheagenic Escherichia coli. Clin. Microbiol. Ver, v. 11, p. 142-201, 1998.

OLIVEIRA, J. J.; REZENDE, C. S. M. Surtos Alimentares de Origem Bacteriana: Uma Revisão. Disponível em: . Acesso em: 06 set 2015.

OLIVEIRA, M. A. F. M. Infecções Alimentares por Escherichia coli. Disponível em:. Acesso em: 15 mai. 2015.

PAULA, C. M. D. Avaliação da Resistência Térmica, Ácida e a Desinfetantes de Cepas de Escherichia coli O157:H7 Isoladas no Sul do Brasil. Disponível em: Acesso em: 03. jun. 2015

SECRETARIA DE SAUDE DO RIO GRANDE DO SUL. CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Cuidados com água e alimentos para a prevenção da contaminação por E. coli. Disponível em: . Acesso em: 17 mai. 2015.

TRABULSI, L. R.; ALTERTHUM, F.; GOMPERTZ, O. F.; CANDEIAS, J. N. MICROBIOLOGIA, 3 ed, São Paulo:Atheneu, 2000.

VENUTO, C. A. Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Síndrome hemolítico-urêmica: doença negligenciada ou pouco compreendida? Disponível em: . Acesso bem: 17 jun. 2015.

VIEGAS, S. J. Ministério da Saúde. Contaminação microbiológica dos Alimentos. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.